Arquivo de Outubro, 2008

22
Out
08

Luz das Estrelas

coração_estrelas_rosa

Desde esse dia em que disseste que tinhas muitas saudades de falar comigo que tudo mudou…

Foram tantas as voltas que esta montanha russa deu!…

Depois desse dia (6ª feira), encontrámo-nos logo no domingo… convidaste-me para ir andar la na praia e é claro que eu aceitei sem hesitar…

Fui ter contigo, cheguei primeiro que tu, e quando chegaste, mal saíste do teu carro notei que os teus olhos não estavam normais, pareceu-me ver uma lágrima no canto de cada olho teu… Depois de nos cumprimentarmos e começarmos a falar, não olhavas bem para mim, tentando esconder essa lágrima talvez…

Fomos falando, coisas do trabalho principalmente, fomos andando, sempre a um ritmo acelerado que até estranhei, evidenciando ainda mais o teu nervosismo…

A uma certa altura, no meio de um passeio onde temos uma vista magnífica sobre a praia, perguntas-me pela minha mãe, agora com lágrimas a escorrer pela face, abraçando-me…

Tinhas sabido que a minha mãe não andava bem, sentias-te mal por isso porque sabias que os problemas tinham a ver com nervos, muitos causados por terminarmos a nossa relação, e pelo facto da minha mãe me ter visto triste desde que tínhamos acabado…

Conversámos sobre isso, abraçando-nos de vez em quando enquanto choravas, e enquanto apreciávamos um pôr-do-sol como ha muito ñ via…depois do sol desaparecer, fomos caminhando para o carro, abraçados, estava frio e sentiste-te confortável nos meus braços…

Adiantando a história, estivemos ali a conversar encostados ao meu carro, sempre abraçados com o frio como desculpa, e com saudades como razão principal…

Falámos de nós, falámos das saudades que tínhamos um do outro, falaste-me que sentias por outra pessoa o que eu sentia por ti… era nesses momentos em que deixava de te abraçar…

Mas conseguias que eu te voltasse a abraçar, não havia nada entre nós, por isso abraçava-te sem problema, pensando que não tinha nada de mal, nada a perder, e além disso sabia-me bem abraçar-te…

A conversa foi ter onde não esperávamos, ou secalhar onde já sabíamos onde ia parar… não sei… sei que nos beijámos, sei que não aguentámos a vontade de nos beijarmos…

Fomos para casa com o sentimento de que aquilo foi um engano e que poderia nunca mais acontecer nada…

Depois desse episódio, que me deixou com o coração completamente descontrolado de alguma felicidade e medo de sofrer ao mesmo tempo, veio a pior parte…

2 dias depois contas-me a história que tiveste com a outra pessoa, o que me deixou completamente desiludido contigo, e com a impressão que realmente era impossível termos alguma coisa os dois novamente… os teus beijos tinham passado a saber-me algo amargos…

Contudo, essa história passou-se numa altura em que éramos os dois livres que nem passarinhos, por isso não senti a tal dita “dor de corno”, ainda para mais porque se eu tivesse tido oportunidade com outra mulher, tinha feito exactamente o mesmo…

Conversas longas que tivemos nesses dias, até acabarmos os dois à risota pelo msn, sentindo-me meio parvo com tudo isto, sentindo que devia era estar chateado e nunca mais querer falar contigo, sentindo que havia alguma coisa a querer renascer entre nós… que confusão na minha cabeça!…

No próximo domingo encontrámo-nos novamente, no mesmo sítio… tinhas sabido de uma má notícia que punha em risco a tua profissão e estavas de rastos… e não te tinhas esquecido do meu abraço na semana passada… queria-lo novamente, mais ainda…

Conversámos, desabafaste, sentiste-te melhor… e quando voltámos para os carros aconteceu o mesmo… o frio obrigou-te a aconchegares-te a mim, querias novamente o meu abraço, o meu calor…

Desta vez quando chegámos aos carros, não queríamos ir para casa e por isso decidimos ir conversar para dentro do teu carro… já estava escuro…

Continuámos a conversar, cada qual no seu banco, até deitares a tua cabeça no meu colo, como o fazias antigamente… conversámos, fazíamos festas um ao outro, demos as mãos…

Fez-nos lembrar quando começámos a namorar, quando íamos naquele autocarro da viagem de finalistas e muito timidamente demos as mãos antes de nos beijarmos…

Estas recordações rapidamente passaram a ser nova realidade… todo aquele contacto, todo aquele carinho, todo aquele desejo, só fez com que nos beijássemos novamente, desta vez com mais desejo, com mais saudade… não consigo resistir aos teus lábios, não consigo deixar de pensar que a melhor coisa do mundo é beijar-te, não consigo…

E naquele ambiente, sozinhos, sem ninguém por perto, completamente loucos de desejo, fomo-nos tocando cada vez mais, cada vez mais longe, cada vez mais fundo, cada vez com mais tesão, cada vez com mais vontade de foder…

O teu corpo estava a por-me louco como sempre o fez, mas agora com toneladas de saudade que eu tinha dele, eu beijava-te a boca, o pescoço, a barriga… passava-te as mãos pelo peito, estavas louca que eu te chupasse e beijasse as mamas, e fi-lo com todo o gosto… os teus mamilos mostravam como querias que te fodesse…

Agarravas-me toda a tesão que sentia, tavas louca, enfiava-te a mão pelas cuecas a dentro para te sentir toda húmida, toda molhadinha e preparada para te enfiar tudo o que mais querias…

Rapidamente nos despimos, rapidamente te puseste de costas para mim para que te fodesse por trás, mas a minha tesão era tanta que me pediste para o fazer devagarinho… decidiste passar para o meu banco, para cima de mim, de costas para mim, e a forma como eu te beijava e te agarrava deixaram-te tão louca que te enfiei tudo e te fodi como talvez nunca o tenha feito… foi tão bom…

Meu deus!… ainda há pouco mais de uma semana pensava que nunca mais iria ter nada contigo… e agora tavas ali, nos meus braços, com os lábios inchados e com a pele brilhante, próprio de quem teve sexo, talvez amor…

Como seria a 2ª feira??? era o que batia nas nossas cabeças… não me querias dar esperanças, não sabias se querias voltar para mim já, tudo continuava uma confusão nas nossas cabeças!…

Assim ficámos… fomos falando quase todos os dias, já nos encontrámos várias vezes, já nos beijámos novamente, desta vez sem nos podermos amar (mas se pudéssemos, de certeza que o faríamos, sem dúvida!), já almoçámos juntos mais do que uma vez, e estamos num ponto em que não sabemos nem fazemos ideia de como será o amanhã…

Tenho medo de sofrer tudo de novo… tu não sabes se queres estar sozinha ou com alguém, e essa incerteza anda a deixar-me louco… quero-te tanto!…

Oxalá tudo se resolva com o teu trabalho, oxalá que me digas em breve que me queres, que me amas… não consigo viver sem os teus beijos* Mas quero que o digas do coração, não me importo de esperar o tempo que seja preciso…

Hoje à noite estava um céu tão estrelado!…Enquanto fumava um cigarro, pensava em ti, na minha vida, família, emprego… e tudo faz sentido quando te tenho comigo*

04
Out
08

Meu Deus!!

Como é possível?!??

Passados 4 meses, ainda tudo treme…

Falar contigo é bom, é mau, não sei… sei que ontem me deixaste com o coração a bater bem mais forte…

Tinhas mesmo saudades de falar comigo? Tens saudades minhas?

Ou foi só porque a tua moral estava em baixo e te lembraste que eu até dava jeito nos momentos menos bons?

Preciso de resposta…

Só me fizeste ver que tenho saudades tuas… mesmo depois de tudo, apetece-me estar contigo… não te consigo esquecer de maneira nenhuma…

Diz-me, aqueles três *** tiveram algum significado? Uma vez eu disse-te qual era a razão de te mandar sempre três beijinhos… Teve alguma coisa a ver? Não teve nada a ver? É tudo da minha cabeça? Devo ignorar-te? Devo esquecer-te?

Ontem tinha combinado sair, ia falar com o meu primo… Antes de sair olhei para o pc e tinha uma mensagem tua no msn… Pensei: agora não posso falar contigo, tenho coisas combinadas, e se durante anos troquei os meus amigos pra estar contigo, agora não o vou fazer… depois deixo-te mensagem mais tarde…

Bem, o meu primo não apareceu, nem o telemovel tava ligado, nem ninguém estava no sítio do costume…tinha duas coisas pra fazer, voltar pra casa ou ir dar uma volta sozinho… talvez me apetecesse ir fumar um cigarro perto da praia, mas aquela hora e com o frio que estava, e sobretudo com a vontade que tinha de falar contigo, decidi voltar pra casa, e ver se ainda estavas online…

Entrei em casa, troquei sapatos por chinelos e vim directamente para ao pé do pc, ansioso, nervoso, sem saber se queria ou não ver-te online, o coração desertinho para que estivesses… Tinha sido um dia em que tinha pensado mais em ti do que o costume nos últimos dias, até vesti uma camisola que me destes, parece que estava a adivinhar…..

Aí estavas tu, e sem querer dar parte de fraco, falei-te como se tivesse estado ausente e só tivesse visto a mensagem naquele momento… A princípio disseste que estava tudo bem, mas logo de seguida abriste-te e disseste que não estava tudo bem… o dia não tinha corrido bem, o emprego nunca mais começa… e depois disseste: “sabes uma coisa?” , “diz” – disse eu… e ela: “Tinha saudades de falar contigo, muitas mesmo”….

Imaginem o meu coração…

Será que penses muito em mim?…

Pensei em ti durante a noite, pensamentos que já não tinha há muito tempo, pensamentos de desejo e saudades, pensamentos que me fazem sofrer cada vez mais por estar longe de ti…




Share this blog

Bookmark and Share
Bookmark and Share

Blog Stats

  • 3,154 hits
Outubro 2008
S T Q Q S S D
« Set   Nov »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

twitter

Erro: Twitter não está a responder. Por favor espere alguns minutos e recarregue esta página.